EU TE ESPEREI

|

21 de maio de 2018


Eu esperei te ver pelo olho mágico da porta do meu apartamento. Olhar firme e gravata frouxa. A cada fim de tarde, ao coar o café, te esperei chegar de surpresa e tocar a campainha com o mesmo frio na barriga que eu tocaria em teu rosto com as costas das mãos. Se desculpar por estar vindo direto do trabalho, culpar o metrô cheio pelo paletó amassado e justificar que não aguentaria mais um dia sem ter a certeza de que desatar não combina com nós. Então não seria necessária mais uma única palavra – a gente se amarraria num abraço e colocaria fim nas pontas soltas. Quem sabe então o peito cedesse à agonia, e o único aperto que ainda nos acompanharia fosse o do entrelaço dos nossos braços.

QUANDO ELE DISSE QUE JÁ NÃO ACREDITAVA NO AMOR

|

leia ouvindo: A Song About Love

Tu estavas encostado em uma parede branca com a janela fechada e nós conversávamos sobre alguns assuntos polêmicos. Entre uma frase e outra, a única coisa que ficou na minha mente foi o "eu me desencantei com o amor". Não sei exatamente o que aconteceu, mas algo aqui dentro entristeceu-se.

A VIDA É UMA ETERNA BALANÇA

|


Nunca quis de fato crescer. Sempre tive medo das incertezas que o futuro me trazia... Medo de nunca ser boa o suficiente.

Eu tinha oito anos, lembro bem. Era um daqueles momentos constrangedores que a gente nunca sabe direito o que fazer. Eles cantavam parabéns com tanta veemência que eu me perguntava se realmente significava tudo aquilo. Não entendia quase nada ainda, mas já conseguia perceber que muitos deles, apesar da euforia, não eram felizes em suas vidas... Eu seria?

PULSAR ADEUS NUNCA FOI TÃO BOM

|

18 de maio de 2018


Acendi um cigarro e pedi mais uma dose de Bourbon com gelo. Permaneci atenta aos transeuntes que, de tão estranhos, pareciam fazer parte mim. Em silêncio observei o que acontecia ali dentro daquele lugar sombrio, que ficava a meia luz e ao som de um rock inaudível. Meu estômago estava descompassado, havia dias que eu passava a fumaça e álcool. As guitarras pareciam me ensurdecer. E por ora, aquele lugar era o que tinha de mais próximo para chamar de lar.