Quem é você, Alasca?

|

31 de janeiro de 2014

Com a paixão comum pela literatura, Maya e Brunna resolveram criar um grupo para resenhar sobre livros e, felizmente, fui incluída no projeto. A Book For Three nasceu em dezembro: é um livro por mês, três pessoas resenhando sobre ele. Depois de muito vai e volta de lista, montamos a lista oficial de 2014 e o livro escolhido para dar start no projeto foi "Quem é você, Alasca?" do nosso querido John Green.




John Green é perito em criar personagens adolescentes. Depois de eternizar nossa amada Hazel Grace e o fofo do Gus com suas metáforas em A Culpa é das Estrelas, conhecemos Miles, um rapaz magricela de dezesseis anos que decide ir atrás do seu "Grande Talvez" e acaba se matriculando num colégio interno, tudo em busca desse Grande Talvez, de alguma história pela qual valesse a pena viver.


Quem narra a história toda é o próprio Miles e é em virtude disso que digo que John Green é perito em escrever como um jovem adolescente. Miles era um rapaz solitário antes de entrar no colégio interno e lá acaba conhecendo o Chip, popularmente chamado de Coronel, que acaba se tornando seu grande amigo. O desenrolar da história é fácil e doce de ler e a gente sente pena do Miles nalgumas passagens e, no íntimo, fica torcendo secretamente por ele.



Miles se apaixona pela menina Alasca, uma garota cheia de mistérios e com as emoções à flor da pele sempre. Alasca colecionava livros, embora não tivesse tempo para lê-los.
"Eu os chamo de Biblioteca da Minha Vida. Desde pequena, percorro as vendas de garagem em busca de livros que pareçam interessantes. Então estou sempre lendo algum livro". [Alasca, pág. 20]
O livro é dividido em "antes" e "depois". E, assim como em A Culpa é das Estrelas, ele é cheio de trechos que nos faz pensar na própria vida, nos mudando um pouco no íntimo. O que eu posso dizer? Serei eternamente grata à John Green por mudar um pouco minha vida, por me fazer repensar atitudes. Seja pela história da Hazel, seja pela história de vida do Augustus, seja pelo Miles, pelo Coronel ou pela própria Alasca.
"Sei que todos fazem a mesma pergunta. Mas de onde saiu esse nome? Alasca?" [Miles, pág. 54]
Para quem tem curiosidade de saber o porque do nome da menina, ela mesma explica numa partezinha do livro e eu achei bem legal essa parte. Porque quase sempre, nos livros, ninguém explica o nome dos personagens e seria um bocado frustrante ficar imaginando porque uma menina teria o nome de um lugar. Enfim.

É um livro que faz rir e faz chorar. É um livro que faz pensar, sobretudo, sobre tudo. A gente pausa a leitura e pensa. E repensa. E recalcula a vida. Afinal, a gente também vive num labirinto e ficamos pensando em como sair dele. Afinal, a gente também vive em busca de um Grande Talvez, embora – comumente – nos contentemos em ser meros coadjuvantes da nossa própria vida, deixando que o comodismo e o conformismo desenrolem nossas rotinas.
"Cruzes! Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentadas falando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia." [Alasca, pág. 55]
"Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente. [Alasca, ainda filosofando, na pág. 56]
Por isso que o livro, apesar de ser uma história meio "sessão da tarde" (e isso é sim um elogio, porque eu adoro romances adolescentes de sessão da tarde), é um livro, por mim, considerado ótimo. É fácil de ler, tem passagens marcantes (meu livro ficou todo sublinhado) e nos faz pensar. Meditar. Ponderar. E chorar, porque foi John Green quem escreveu e ele tem o dom de nos arrancar lágrimas – e odiá-lo, um pouco.

Classificação do livro? Favorito. E cinco estrelas.



PS: depois de chorar em "A culpa é das estrelas" e em "Quem é você, Alasca", me vejo obrigada a ler as demais obras do João Green  – preciso saber se em todo livro ele nos faz se sentir meio órfão de personagem e com saudade eterna.

Alguns dos trechos que sublinhei (meu livro está todo sublinhado):
— Por que você fuma tão depressa?
— Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer. [pág. 45]
"Às vezes perdemos a batalha. Mas a farra sempre ganha a guerra. [Alasca, pág. 58]
"O medo não é uma boa desculpa (...)O medo é uma desculpa que todo o mundo sempre dá" [Alasca, pág.97]
"As pessoas, pensei, queriam segurança. Não suportavam a ideia de que a morte fosse um grande e escuro nada, não suportavam a ideia de que seus entes queridos pudessem deixar de existir e nem mesmo conseguiam imaginar essa não existência. Por fim, concluí que as pessoas acreditavam na vida após a morte porque não suportavam a alternativa. [Miles, pág. 103]
Quanto tempo é um instante? [Miles, pág. 150]
"Tudo o que é construído, termina por desmoronar" [Sr. Hyde, pág. 201]
"Somos capazes de sobreviver a essas coisas horríveis, pois somos tão indestrutíveis quanto pensamos ser. Quando os adultos dizem: 'Os adolescentes se acham invencíveis', com aquele sorriso malicioso e idiota estampado na cara, eles não sabem o quanto estão certos. Não devemos perder a esperança, pois jamais seremos irremediavelmente feridos. Pensamos que somos invencíveis porque realmente somos. Não nascemos, nem morremos. Como toda energia, nós simplesmente mudamos de forma, de tamanho e de manifestação. Os adultos se esquecem disso quando envelhecem. Ficam com medo de perder e de fracassar. Mas essa parte que é maior do que a soma das partes não tem começo e não tem fim, e, portanto, não pode falhar.

comentários pelo facebook:

15 comentários:

  1. Aaaaaaaaah... nossa estreia.. nosso projeto. Que lindoooooooo! hahahaha.. E é incrível como, mesmo sendo o mesmo livro, e mesmo sendo nós amigas e termos comentado dele, a resenha é tão diferente uma da outra! Não vejo a hora de ler o próximo. E eu adorei você ter mencionado do porque do nome da Alasca! Sacada legal. Nem tinha me lembrado disso.

    Beijooo e até Extraordinário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho medo de ler extraordinário pq acho que vai ser daquelas ressacas literárias :(

      Excluir
    2. Ó eu curiando aqui. haha Também, MF.. E já comecei.

      Excluir
  2. A resenha ficou ótima! Tô adorando a ideia do projeto, assim nós três acabamos nos conhecendo até um pouquinho mais, não é!? :)

    Gostei do livro, mas não tanto quando A Culpa é das Estrelas. Agora é fazer como você e embarcar nas demais obras do João Verde.

    Beijo, MF. ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Impossível superar A culpa é das estrelas. Impossível.

      Excluir
  3. Tenho interesse de ler A Culpa é das Estrelas. Acredite, não li ainda. No mais, pelo visto este livro é bem leve, com um romance refrescante e adorável. E muitas passagens reflexivas.

    A resenha ficou boa Fê!

    Você tem costume de sublinhar os livros é?
    Depois quero saber se tu sublinhou algo no meu rs

    Beijo!! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. triste hábito, Alê. Tem quem condene hehehe :*

      Excluir
  4. HAHAHA JÁ basta A culpa é das estrelas que tbm não li. E agora mais esse?
    As pessoas falam suuuuuuuuuuuuuper de ambos.

    ResponderExcluir
  5. Tenho esse livro em casa, conheço muita gente que afiram que ele consegue ser melhor que o "A Culpa é das estrelas".
    Ainda não li, mas tenho curiosidade.
    Bacana a proposta desse clube do livro. Sempre enriquecedor participar de algo assim.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Particularmente acho que não dá para competir com A Culpa é das Estrelas, mas eu adorei esse livro também.

      Excluir
  6. Quero esse livro :(. Mas não tem pra vender na Saraiva...e não posso gastar mais com livros #chora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim que tiver oportunidade Suzi, vale a pena ler ;*

      Excluir
  7. aaah, sou eterna órfã de ACEDE! Nunca mais li nada do João Verde. :/
    Até porque PAREEEEEEY DE COMPRAR LIVROS BRASÉÉÉL! O/
    Ano que vem, quem sabe, essa histórinha fofa não entre na meta de leitura?!

    Amei a ideia e a 'logo' do projeto docêis! Ficou DEMAIS!

    Beijoca MF.

    ResponderExcluir
  8. Tem taaaaaaaanta frase linda nesse livro. Já vi gente postando outras e fiquei encantada ♥ Sou louca para ler, masssss, porem, entretanto. Prometi a mim mesma que antes de comprar qualquer outro livro, tenho que ler os que já tenho. Mas nada me impede de pegar emprestado ehehhe
    beijos
    sim senhorita (clique aqui ou no perfil)

    ResponderExcluir