Sobre (e)star;

|

1 de setembro de 2014

Não lembro quando, mas aprendi a desenhar estrelas, contorná-las uma a uma e descobri que preciso seguir meu tempo para deixá-las perfeitas.  Não lembro quantas estrelas rascunhei sem forma,  de um jeito tão torto e estranho como essas linhas que escrevo agora. Talvez você não entenda e, desculpa a sinceridade, mas hoje não faço muita questão de ser entendida.  Essa é só mais uma urgência minha que me escapa e te conto,  sem segredos, que é uma delícia me ver fugindo pelos meus próprios dedos. Num dado momento me vejo tão despida de mim mesma que me enxergo de jeito mais pleno, ainda que um bocado incerto.  Assim como não lembro quando aprendi a rabiscar estrelas,  também não lembro quando decidi deixar de  fazer sentido tal qual a vida que nos engole as horas e nos rouba alguns dias. Acho que venho tentando ser leve numa tentativa de tornar mais eternos meus bons minutos e mais resolvidos os maus, para que de tudo consiga absorver e ver mesmo o ponteiro do relógio girar.  Falta muito disso no mundo: gente que desenha estrelas, gente que percebe o tempo,  gente que brinca, gente que se finge turista na própria vida.  Já notou como viajar é bom? Quando estamos fora não ligamos muito para o que o povo pensa porque turista tem o direito de turistar, de fazer mímicas para ser entendido, de pedir pratos estranhos para experimentar e nós, enquanto turistas, tiramos proveito do máximo de tudo. Falta muito ser nômade na própria rotina...


Porque setembro chegou chegando (e gordinho de coisas boas).
Mas não tive tempo de ver agosto voar.

comentários pelo facebook:

18 comentários:

  1. Que turistemos mais, pois! Que consigamos encontrar e nos apossar desse modo leve de viver e ver a vida. Que quebremos a rotina quando estivermos meio estafados da mesmice. Que sejamos felizes! Amém! =)

    Um abraço, MaFê linda.

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  2. "Acho que venho tentando ser leve numa tentativa de tornar mais eternos meus bons minutos e mais resolvidos os maus"

    É isso!

    ResponderExcluir
  3. Lindo lindo lindo!!
    "Falta muito ser nômade na própria rotina..."
    Seguindo aqui, sua escrita me conquistou!!!
    BJs, Lu
    http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza!! Seja super bem vinda por aqui ♥ Fico mais que feliz que tenha gostado!!

      Beijão

      Excluir
  4. Em um desses shows que eu fui... Um cara me dizia que, os melhores momentos são aqueles que você não consegue descrever ou achar sentidos para o mesmo.

    Apenas SINTA tudo isso e desabafe aqui para a gente ler estes textos tão bacanas. hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos meus maiores desafios é tentar por em letras aquilo que parece impossível descrever :)

      Excluir
  5. Vem com tudo setembro porque agosto ficou a desejar.
    Amei aqui, Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vem que vem que vem com tudo ♪

      seja super bem vinda, Flor ;*

      Excluir
  6. Como sempre, lindo texto. Aliás, listei seu blog no BlogDay. =D

    ResponderExcluir
  7. Agosto voou mesmo Sis. Passou e nem vimos!
    A gente carece de gente assim sabe?Que desenha estrelas, flores, sóis e corações na vida, na nossa vida. E gente que leva tudo de forma mais leve pra nos pegar na mão e nos guiar, sem que escorreguemos sem querer vida afora.

    Você desenha estrelas nos meus dias. E corações vazados de instagram.
    I love you, Big Sis. So, so much. ♥

    ResponderExcluir
  8. Poxa, você fez uma comparação linda e certeira, MF. É mais fácil perceber quando não se faz parte, quando se olha de fora. É mais fácil se permitir...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O segredo (e dificuldade) é aprender a olhar do lado de dentro. ;)

      Excluir
  9. Queria muito poder turistar mais, pela minha própria vida, ir sem medo muito mais vezes. Às vezes umas paredes se transpõem e impedem algumas levezes que encontro em minha jornada. Mas uma hora ou outra há um escape, aquele necessário, e eu encontro um jeito de turistar.
    Ai, ai... Logo hoje que tô meio assim, leio esse teu texto e fico pensando em rabiscar mais minha vida, e sei lá, fica aquela pontinha de agonia nesse coração.
    Enfim, sempre mexendo com meu coração suas letrinhas. Beijo bem grande :*

    ResponderExcluir
  10. Dar profundidade e cores à vida é um meio de se propagar, dar vazão à alma que tanto sente e se emociona. É preciso ser leve, ver leve e deixar a poesia solta. Precisamos viajar dentro de nós, conhecer nossas belezas, nossos portos e pontos mais turísticos. Há monumentos cheios de história, riquezas merecedoras de nossa atenção. Florir dentro é o primeiro passo para adornar o ambiente de fora e encantar quem nos visita ou o mundo pelo qual nos entregamos.

    Lindo Fê! Beijão!

    ResponderExcluir