Quando a gente está ao lado de alguém que já não nos faz bem, o amor já acabou faz tempo

|

4 de abril de 2017


É tão bom começar um novo amor, não é verdade? Tudo é novidade. A impressão que a gente tem é de que existem diferenças de outros amores. Que o passado foi o degrau para alcançarmos a máxima dos romances idealizados. Passado a euforia dos primeiros instantes, começamos a questionar aquela felicidade. Acreditando que, uma hora, tudo de bom vai passar. Ou, pelo menos, ser menos intensidade e mais realidade.

É que os problemas sempre aparecem. Uma hora ou outra, os defeitos e manias de quem a gente ama começam a nos incomodar e os nossos defeitos e manias começam a incomodar o a gente. E se não tiver amor suficiente no peito para aguentar o tranco, a coisa morre, mesmo. Ou melhor, não é só amor. É uma série de outras coisas que já deixaram de existir no caminho e, na estrada, são tomados outros rumos.

Muitos chamam de tolerância. Concordo, mas não é preciso tolerar tudo. Em um passado não muito distante, assistimos casamentos que duravam 50 anos. Nossa! Pessoas que passavam por cima de tanta coisa, inclusive de seus sonhos e da sua dignidade, para manter um relacionamento constante. Vivo... Talvez não.

Você não é obrigada ou obrigado a tolerar grosseria. A pessoa que está ao seu lado não precisa gritar com você. Te humilhar. Te expor a situações constrangedoras, por exemplo. Não. Isso não é amor. E se hoje os casamentos duram pouco porque as pessoas querem ser respeitadas, que durem cada vez menos ao menor sinal de desrespeito.

Não tenta mudar ninguém. Não se diminui, nem se ajusta a uma vida que não cabe os seus planos. Nós precisamos caminhar com alguém que abrace os nossos sonhos e, mesmo que não concorde com a nossa caminhada, esteja de prontidão para nos segurar no primeiro tombo.

A ideia que eu tenho de relacionamento tem mudado com o passar dos anos e com o passar dos amores que tenho na vida. Hoje, só algo que me faz verdadeiramente feliz é capaz de me fazer continuar e passar para a próxima fase. No mundo em que vivo, já fui pra casamentos cinematográficos que, nos bastidores, já fracassaram ou acabaram sem ninguém se dar conta. Porque realizar o sonho de entrar de branco numa igreja não é sonho de vida, mas de momento. 

O amor é cíclico. E nós também estamos em constante transformação. Se não tivermos alguém que esteja disposto a enfrentar a força das marés ao nosso lado, qualquer história de amor desmorona. 

Hoje, eu quero alguém que seja capaz de me fazer apaixonar todos os dias. E ser capaz de despertar aquele amor e o olhar da primeira vez, sempre que um furacão passar, descabelados e ofegantes, e nos percebermos olhando um pro outro de mãos dadas. “Ufa! Vencemos mais uma.”

Não sei se estou certo. Se é esse o segredo do amor duradouro, já que cada casal é um caso. Mas, eu tenho buscado isso. Respeitar, apoiar, me entregar. E tenho me apaixonado todo dia, acreditem. Tolerância pra mim é tolerar as limitações, defeitos e manias. Estupidez, grosseria e canalhice é outra coisa. Na grande maioria dos casos, era esse o segredo dos relacionamentos duradouros de antigamente. Se for, que durem cada vez menos. Sério.

Se permita ser feliz ao lado de alguém que provoque essa felicidade. Que seja responsável por essa felicidade. Vocês terão crises, brigas chateações. Convivência é isso. Quando tudo passar, reflita: Como te trataram, o que te fizeram e o que te disseram no momento de discussão ou chateação. Se houve excesso, reflita se vale a pena.

Se acostumar a isso não é amor. Ou melhor, quando a gente está ao lado de alguém que já não nos faz bem, o amor já acabou faz tempo.


EDGARD ABBEHUSEN.
Baiano cá do Recôncavo. Vizinho de Edson Gomes, Sine Calmon, fã de Dona Canô e dos filhos que ela deixou no mundo. Aspirante a jornalista e sonhador de um mundo melhor. Tenho axé correndo no sangue. Amor no coração. E entre acarajé e Sushi, eu fico com os dois.
MEDIUMFANPAGE | INSTAGRAM

comentários pelo facebook:

3 comentários:

  1. Também comecei a ser mais exigente em relacionamentos. Terminei o último por me sentir sozinha demais, e enxerguei que não precisava ser desse jeito!

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demoramos um pouco para ver as coisas, mas que bom que a gente enxerga - e age. ;)

      Excluir
  2. "Não tenta mudar ninguém. Não se diminui, nem se ajusta a uma vida que não cabe os seus planos."

    Taqueopariu...

    Gente, que texto! Que texto!
    É a única coisa que consigo falar. Bateu no peito e trouxe caos e calmaria, tudo junto.

    O amor que não se demora, encontra seu lugar onde há vazios. Amor tão vazio quanto.
    Que para nós haja sempre amores inteiros!


    ADOREI esse texto, de verdade.

    ResponderExcluir