Que falta você faz

|

27 de setembro de 2017

[para ouvir: Vazio - Transmissor

Hoje eu queria que você viesse com aquele seu bom dia cheio de sorriso. Queria ouvir você reclamar de sono, queria ouvir teus dramas e queria te ouvir contar do último filme que você assistiu, dizendo que eu não devo ver, porque, manteiga do jeito que sou, iria morrer de tanto chorar. Hoje eu queria que você estivesse perto, com aquele teu jeitinho cheio de manha, com a voz cheia de preguiça e sotaque. Hoje eu queria você, quando você era todo meu.

É um querer-precisar, sabe? Eu queria que você me ouvisse com aqueles olhinhos atentos, que afagasse meu cabelo fino e risse do meu desespero sem fim. Queria você me arrancasse um sorriso e depois falasse sério, dizendo que tudo vai ficar bem. Só você tem o dom de tirar o peso das minhas costas e mostrar que o caminho não é tão sinuoso quanto parece.

Eu queria muito ouvir você pontuando meus problemas e dizendo o tanto que meus sonhos são reais e palpáveis. Você tinha um jeito tão genuíno de me fazer acreditar em mim. Hoje eu queria você por perto, pra não me sentir tão perdida assim.

Acordei desejando um milagre. Hoje é daqueles dias que eu sou uma gigante dentro de um grão de areia. Tudo aperta, de todos os lados. Você me liberava dessa claustrofobia insana e, mesmo me segurando num abraço, eu me sentia livre e leve, então eu queria muito esse pequeno milagre, que é ‘ouvir’ tua voz, quando tua voz era minha. Sentir você do lado, mesmo que tão longe. Sentir tua mão apertando a minha, teu carinho indo de encontro ao meu e a tua fé, inabalável. Queria ouvir o teu ‘morro de orgulho de você’, ‘olhinho até enche de água’. Queria conseguir enxergar a fé que um dia você colocou em cima de mim.

Hoje eu acordei querendo a gente de volta, numa época que não éramos dois estranhos. Eu acordei com saudades, porque acordei com saudade minha, da parte que era tua. De quem eu me transformei ser, de quem fui com você. Eu procurei tuas palavras, num passado tão próximo – mas que dói como anos luz de distância. Achei afago naquelas letras bordadinhas de carinho.

Hoje acordei sentindo tua falta.

“Você é muito capaz. Capaz de conseguir realizar seus sonhos. É só correr atrás. Para quem não quer, nada vale a pena. Para quem importa, tudo vale sangue. Pois ter um sonho é como um filho seu: ou você cria, ou é só mais um no mundo”


comentários pelo facebook:

2 comentários:

  1. Que tocante, Mafê! Tem dias que a saudade aperta forte mesmo.

    Beijos!

    ResponderExcluir