AMOR NÃO É MOEDA DE TROCA

|

16 de fevereiro de 2018


Dias atrás, em uma de minhas reflexões existenciais, observei que cada pessoa que passa na minha vida deixa uma marca, um pedacinho dela – e leva uma parte de mim, mas isso, claro, já havia dito Saint-Exupéry em O Pequeno Príncipe, assim “Aqueles que passam por nós não vão sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós”. E pontuando o que deixaram em mim, percebi que é inevitável mudar, crescer e evoluir. Porque, seja sútil ou dolorosamente, estamos vivendo e aprendendo com cada situação.

Desde que me lembro sou romântica, acreditei que amaria algumas pessoas para sempre, mas passou. As marcas ficaram, os ensinamentos e, em alguns casos, as cicatrizes. Quando deixamos um pouco de nós e levamos um pouco dos outros, ficam lembranças. Às vezes boas, noutras nem tanto. Mas é aqui que acontece a mágica, entende? Amadurecer para ganhar sabedoria é o ponto em que quero chegar. Sabe por quê? Porque esses amores que esqueci me ajudaram a ser quem sou hoje, influenciaram na minha forma de sentir e emitir sentimento. No caso, no meu último relacionamento, foi tudo diferente. Estava em um período de dar um tempo só pra mim, era bem bom, mas quem sou eu para negar de que uma paixão exista, não é mesmo? E quando aconteceu, estava como água tratada: límpida, pura e digestível. Me sentia pronta para amar como nunca havia amado, sem medo, sem frescura. E amei, entreguei, mas o relacionamento acabou – o que, claro, não significa que meu amor também tenha ficado para trás.

Por incrível que pareça, até no final agi diferente. Conduzimos tudo com maturidade, carinho e respeitosamente. Em outros namoros eu nunca fui atrás, nem disse o que eu sentia, muito menos me preocupava em demonstrar qualquer que fosse o sentimento, afinal, sabia que ia passar. Desta vez eu não tenho mais essa certeza. E não me preocupa, não me toma tempo. Pelo contrário, demonstrar meu amor é ato de coragem, é respeitar que meu coração sente, é ouvi-lo. Porque se este amor realmente não passar, não tem problema algum. De uma forma ou de outra vou aprender a lidar e a viver. É que nada mais me impede ou vai impedir de gritar aos quatro cantos, ou singelamente enviar uma mensagem dizendo o quanto eu sinto saudade e amo.

Do meu ponto de vista, maturidade é isso: é observar que o sentimento está ali, vivo. Ele não precisa morrer. Não preciso maldizer quem partiu. Tampouco calar tudo o que bate no peito jogando para debaixo do tapete. É dizer, demonstrar, é estar tudo bem com o sentimento, seguindo o baile sem forçar qualquer situação.

Prefiro muito mais os que dizem, mostram, procuram aos que se fazem de orgulhosos apenas para se sair por cima. E olha, essa última frase não quer dizer que todas as mensagens que envio devam ser respondidas, ou que haja uma expectativa quanto a isso. O mais gostoso de me comportar assim, é que não estou esperando nada em troca. Amor não é moeda de troca, é a coisa mais linda da vida que acontece para alguns, e para outros não. Está no relacionamento de muitos sortudos, e outros passam vontade.

No fim das contas, passei a amar ainda mais o amor depois de descobrir isso.


comentários pelo facebook:

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...