icones sociais

A GENTE ESQUECE NA MESMA PROPORÇÃO QUE UM DIA AMOU


O sol invadiu as frestas da cortinas, lembrando-me que o dia nasceu e você não está mais em casa. A rotina chega a ser maçante e dolorosa de se passar. Entre um gole de café e uma folheada no jornal, deixo um suspiro solto esvair silenciosamente. É a saudade que está transbordando no coração, mas se encontra em colapso ao confrontar a razão que insiste em te deixar ir.

O sentimento aflora. Não sei se me refugio na solidão ou permito que ele me devore. Eu sei que o roteiro já está traçado, mas sei também que o caminho é sem volta, um toque, um olhar, um beijo, e então eu não mais serei dona de meus desejos. Basta você me fitar e eu irei querer me entregar, sem mais, sem dúvidas, sem pensar nas consequências. Vou apenas querer me afogar em desejo e por ti ser consumida por inteira.

Mas sabe o que é? Revivemos a mesma cena por diversas vezes e o final repetido se tornou pesado. Venho lutando contra os dias cinzas desde que você se foi. A abstinência é cruel, e entre tantas recaídas, idas e voltas, eu realmente cansei. Afinal, pra mim sempre foi amor, mas pra você meras horas de paixão.

É estar ao seu lado e tudo aqui se intensifica, e no final sempre acabo esquecendo como é que se diz adeus. Aí você volta e eu adio tudo para amanhã. E repito a mim mesma: "Hoje é a última vez que irei procurá-lo". E no final? Nunca é.

Como eu queria que um simples esbarrão fosse apenas um esbarrão. Que aquele primeiro toque ficasse, sei lá, embutido em um pedido de desculpas e nada mais, e vida que segue, sacas? Mas não, depois disso vieram as apresentações e então combinamos de sair. E desde então, por anos, o seu amor foi o meu cárcere.

Mas foi graças a este gosto amargo de desdém na boca que pela primeira vez eu não voltei atrás. Despachei as últimas coisas suas que sobraram por aqui. E ainda assim, depois de meses da última despedida, você bateu em minha porta, com uma desculpa esfarrapada de querer um livro de volta.
Por milímetros de segundos nos olhamos e então vi o tempo se fragmentando em minha frente e eu desejando novamente aquele alguém que um dia foi tão meu. Mas, dessa vez, eu apenas sorri, te entreguei o livro e logo em seguida me despedi. Eu te avisei, não avisei?

Eu te amo, mas eu também posso aprender a deixar de amar. Pois bem, hoje eu não cedi e antes de te querer, eu escolhi a mim.


Instagram