QUANDO A GENTE SE ENCONTRAR DE NOVO

|

22 de março de 2018


Eu bem sabia que em algum momento da vida teria que soltar suas mãos e te ver sair pela porta já de malas prontas. Já não tinha espaço para sermos dois, e isso foi soando cada vez mais familiar no dia a dia. Mas não quer dizer que eu não te ame, na verdade eu acho que vou te amar em todas as vidas que a gente se encontrar, se é que elas existem, não estou questionando. Hoje eu só olho para alguns livros que você deixou em cima da cabeceira, e alguns recados que ainda ficaram colados na geladeira em post it coloridos onde eu adorava escrever pequenos versos e deixar de presente, tem sim uma saudade. Sabe o que é mais engraçado? No fundo eu sei que você também sente isso, toda essa angústia da partida. Não foi tão fácil assim dizer adeus, eu vi no cantinho dos seus olhos uma lágrima tímida, porém verdadeira, nossas almas já não se conectavam mais.

Tudo bem sentir essa dor, está tudo certo você ir embora, eu não vou me atirar de nenhuma ponte, não vou tomar remédios, não faz parte da nossa louca vida essa reação. Vamos combinar dias diferentes naquele barzinho de rock que a gente curtia, é pra lá que a gente vai, não é? Você deve pedir algumas doses de Whisky sem gelo no dia que tocarem Johnny Cash, eu vou beber algumas de tequila ao som de Queen. Se a gente por acaso se encontrar, vamos cruzar os olhares sabendo que a mesa a dois seria muita mais divertida, mas vamos permanecer em silêncio sorrindo das piadas que nem estamos ouvindo dos amigos que tiveram a bondade de escutar o coração gritando que ‘Eu amo, mas preciso deixar ele(a) partir!’ A gente vai evoluir para nos encontrarmos depois, e cada encontro será fantástico, eu sei que sim. Eu vou saber ao certo como te olhar de forma tão intensa que vou desconsertar todo sua armadura de durão. E você vai me abraçar tão forte que eu irei reconhecer a segurança que é estar em seus braços.

Nós vamos seguir a vida. Viva seus amores, vou viver os meus. Até voltei a escrever, acredita?! Andava meio travada esses últimos meses, passei horas em frente ao caderno e nenhum verso se formava. Vinha para o notebook e o cursor continuava piscando sem se mover para construir alguma frase que fosse aproveitável. Deve ser o tempo de recuperação, quando se deixa o outro ir fica um vazio que era o lugar dele, e os pensamentos vão sentindo toda a inquietação que é chegar em casa e não ler nenhum post it, saber que tudo vai continuar no mesmo lugar como deixei ao sair pela manhã, a cama volta a ser grande e espaçosa. Será que era esse espaço que precisávamos?

Com toda sinceridade da vida, eu não sei te responder, mas aos poucos eu fui entendendo que o amor também é partida solidão, é vontade de estar perto com a mesma intensidade de querer estar longe, sem deixar de ser amor. Continuo te amando, desejando que você dê seu melhor sorriso todos os dias e que a vida lhe seja muito próspera. Alguns me perguntaram o porquê ainda dizer que te amo, talvez eu tenha engasgado um pouco na resposta, mas no fundo do meu coração eu sinto que ao te amar, mesmo distante, estou me amando também, esperando o próximo encontro. O amor não deixa de ser amor, ele sofre algumas transformações, quem sabe a gente não se encontra como melhores amigos na próxima existência? Por favor, se lembre da dica: o olhar, e então me abrace com toda força que puder, que eu saberei que é você.



comentários pelo facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...