APRENDA A TE OLHAR

|

20 de abril de 2018


Tudo o que você tiver para fazer na vida, faça com o coração. Porque o coração não espera nada em troca, é o cérebro que necessita de reconhecimento. O coração não sente raiva por si só, é a razão que costuma manipular os sentimentos. O coração é nobre, é puro. E é por ele que tens que te deixar guiar.

Reconheça as coisas boas que tem dentro de ti, somente assim será capaz de identificar o que há de bom no outro. Fale a verdade, não o que vai agradar – ficar se moldando apenas para ser bem quisto é tóxico e traz problemas sérios de saúde. Se não sente vontade de sair de casa para um passeio, seja honesto com você e com o outro. Tuas experiências em grupo serão melhores quando estiverdes a fim de vivê-las.

Olhe para você com carinho. Seja paciente com tuas dúvidas e calmo com tuas pressas. Não te cobres tanto, lembra-te que pausas são importantes para respirar, quando não respira, você não consegue pensar. Não seja cheia de certezas, elas são falsas e jamais serão absolutas. Permita-te ser flexível, mas não seja condescendente.

Respeite teus hiatos, teu fundo do poço e tua dor. Através do respeito a força se solidifica. E se torna infinitamente mais verdadeiro teu retorno ao que há de melhor na vida e em ti. Quebre algumas de tuas regras, ou melhor, todas! Comece do zero a te conhecer e permita-te fazer aquilo que nunca fez. E a partir daí haverá argumentos suficientes para novas regras.

Julga-te menos, e ao outro menos ainda. Geralmente o que criticas no outro, está camuflado dentro de ti – e as armadilhas do cérebro não te deixam enxergar. Seja do bem, inteiramente do bem. Leve luz por onde passar, deixe rastros de paz em tuas conversas, mas principalmente dentro da tua morada principal que é teu coração e teu corpo. O corpo reconhece quando algo está em desordem, ele fala – nota-te. Enxerga-te. Fale consigo.

E quando tudo parecer fugir as tuas mãos, lembra-te de recomeçar. Você pode ser como a Fênix e ressurgir das cinzas, ou como as lagartas que viram borboletas. Há tanta beleza aí dentro, repara-te.


Do teu singelo coração, para a garota extraordinária que tu és.


comentários pelo facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...