O QUE ELA FEZ POR ELE

|

8 de abril de 2018


Ele era daqueles que não se empenhava muito pra nada. O meio termo sempre foi seu ponto preferido. A zona de conforto sempre foi uma das suas melhores companhias. Volta e meia se metia em algumas (tantas) encrencas, daquelas capazes de comprometer boa parte do futuro e dos poucos sonhos que havia cultivado.

Por falar em sonhos, ele não acreditava. Mantinha um ou outro, mas nunca foi adepto de colocar muita energia e crença neles, já estava acostumado com certo fracasso e deixar de por fé faria com que as coisas se tornassem mais fáceis após os resultados. Ele gostava da facilidade, o difícil gastava energia demais.  Ele gostava da facilidade até conhecê-la.

Intensa, sonhadora, acumuladora de desejos e de vontades incríveis. Ela queria viver mais do que qualquer outra coisa. Ela tanto queria voar que acabou levando ele em suas asas. Ela não era das mais saudáveis, mas era das mais felizes. Fazia da felicidade seu pontapé para realização dos desejos – e ela tinha tantos! Tantos que ele se viu obrigado a ser contaminado pela vontade e pela energia que ela carregava. Agora ele tinha fé, tinha esperança e tinha mais força na vida como jamais havia tido antes. Agora ele se parecia com ela, mas nunca foi capaz de ser mais que ela.

Ela o levou para diversos lugares. Mostrou o mundo, fez enfrentar medos, afrontar as vergonhas. Ela lhe despiu como ele jamais havia ficado. Ele ficou nu e se entregou a ela. Entregou amor, entregou vontade, entregou sua companhia nos dias sombrios que voltariam a fazer parte da vida dela.

Ele, que não acreditava tanto em sonhos, passou a acreditar por ela. Ele que preferia a zona de conforto, passou a enfrentar leões por conta dela. Ele que não tinha muita fé na vida, passou a ter fé na vida dela.

Ele se entregou por ela. Fez tanto por ela que acabou amando mais a si mesmo. Ao lutar pela vida de quem tanto amava, passou a lutar por sua própria vida. Ele passou a ter mais força que ela, enquanto ela entregava sua força gradativamente.

Ninguém nunca entendeu bem porque essas coisas acontecem, mas elas continuam acontecendo frequentemente. Ele que nunca entendeu nada sobre a vida, agora entendia muito menos. Ele passou a viver por ela, enquanto ela teve que deixar de viver. Ele que, em pouco tempo, passou a viver, teve que permitir o não viver dela pra que ela pudesse não mais sofrer.

comentários pelo facebook:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...