icones sociais

Fragmentos do cotidiano


Eu sou de dias tristes.

Dias de reflexão, dias de solidão, dias de aquietar, dias de observar, dias de sentir. A essência de uma dor torna a nossa garra mais afiada. A lágrima gélida que desliza pela face é a mesma que nutre o coração de forças.

Eu sou de dias tristes.

Dias de fechar as cortinas, silenciar os pensamentos, encerrar a hora da visitação, me refugiar para o meu universo particular. O peso do medo deixa o passo mais lento e, por causa disso, pensamos duas vezes sobre a mesma situação. E em cada olhar absorveremos um novo aprendizado.

Eu sou de dias tristes.

Dias de enlouquecer de dor ao ponto de implodir e não saber pra quem pedir socorro. Não é por falta de, "para quem pedir", mas sim em ter forças para pedir. O silêncio que nasce de dias preto e brancos são os conselhos mais ricos. Porque quando falta cor, notamos o quanto o outrora era especial e, se não cuidarmos do agora, amanhã ele não irá mais existir.

Eu sou de dias tristes.

De joelhos ralados e uma fé que oscila. De cicatrizes que latejam e de dias de inverno. Ainda bem que existem os dias tristes, porque depois que eles findam, a força renasce como a fênix e todos os outros dias irão se tornar intensos e bem vividos. Afinal, somente a sede de viver afasta os dias tristes.

Eu também sou de dias alegres.

Me refugio nas cores, procuro pelo sol, me perco na simplicidade, respiro empatia, me cerco do que deixa a alma leve.

Eu sou de dias alegres.

Aqueles que o sorriso faz brotar lágrimas de felicidade, que o fôlego nos deixa na mão, que a barriga pede pause, que a vida pede para ser sentida e vivida. Eu gosto do circo, da comédia romântica, de tardes de verão, do piquenique no campo e da queimada na praia.

Eu sou de dias alegres.

O alicerce bom para todos os outros, o baú de memórias protegidas pelo filtro do tempo. É o gosto de um beijo, o cheiro de mãe, um brigadeiro roubado ou apenas uma preguiça no final da tarde. O coração fica leve, a alma solta todas as preces, já acordamos querendo dançar ciranda, nos sentimos imbatíveis e rezamos para que o feeling apenas dure. Que ele só dure.

Eu sou de dias alegres.

De visita surpresa, de café da manhã na cama, de abraços despretensiosos, de eu te amo sem esperar nada em troca. Eu sou o retalho de todas as histórias de conto de fadas. E em mim eu sempre levarei na pele e no coração que nos dias alegres é onde para sempre irei querer morar.

Sobre todos os outros dias?

Bem, eu sou de dias alegres, então os outros eu irei unicamente ter minha força restabelecida para os vivenciar. Seja eles quais forem!


foto: @juricakoletic | edição: @mafeprobst

Comentários

Instagram