icones sociais

entre ela.


Ela está ficando louca. Declarou guerra contra ela própria e não sabe se é capaz de sair viva desta, nem de que lado deve tomar partido.

Desesperada, a menina grita por socorro, mas parecem não ouvi-la e se ouvem, a ignoram. Essa indiferença a maltrata. No interior da garota as vozes parecem não cessar nunca. São vozes reprimidas, palavras escondidas e trancafiadas. Querem sair. Querem ser ditas. Querem se fazer existência. Mas, por causa da guerra, as que ainda não foram presas ou mortas, se refugiam como podem, na esperança da coragem vencer o medo e elas sairem feito borboletas, como tem que ser feito...

A loucura está a matando. Aos poucos. O excesso de palavras, foragidas na garganta, estão a sufocando e ela não sabe quanto tempo mais irá resistir.

Das mãos e punhos cortados, por causa do soco recém dado no espelho, caem gotas de sangue. Uma a uma, sempre no mesmo intervalo de tempo. É a contagem regressiva para o fim da angústia, da agonia e da falta de ar...

"A guerra está acabando...". Pensou a garota fechando os olhos. "... pra sempre."




Mafê Probst
Engenheira, blogueira e escritora, não necessariamente nesta ordem. Gosta das hipérboles. Geminiana complexa, curiosa e indecisa. Come sushi toda quarta-feira. Coleciona sorrisos, dentes-de-leão, abraços apertados, despedidas de aeroportos e alguns clichês.  Tem um livro à venda. É membro da Academia de Letras de Itajaí, ocupando a cadeira número 7 – Paulo Leminski.

Comentários

  1. Se essa menina for tão forte quanto parece, com certeza vai conseguir ganhar essa guerra!

    Bjux!

    ResponderExcluir
  2. "O excesso de palavras, foragidas na garganta, estão a sufocando e ela não sabe quanto tempo mais irá resistir."

    deixa sair.. é melhor.

    se quiser conversar to auqi tá?
    mesmo vc me mandando embora do msn ;x

    ;@@

    ResponderExcluir
  3. seu post me lembro um livro que eu li a poco tempo que eu naolembroonome ;D

    ResponderExcluir
  4. Isso o q ela sente é mto importante e deve ser mto forte mesmo!! Parece uma guerra com inimigos internos poderosos e por vezes silenciosos, como uma rede terrorista X uma menina que quer se encontrar e buscar alívio pra sua dor...

    Se ela quiser conversar sobre essas idéias, pode me chamar!

    mpsi@via-rs.net

    ResponderExcluir
  5. As palavras merecem uma chance de serem pronunciadas.
    Da mesma maneira que elas são guardadas.

    ResponderExcluir
  6. Mas o que mais ela tem a perder?

    ResponderExcluir
  7. que acabe enquanto houver forças.
    e que se cubra de amor.

    aonde esta o amor???

    bjo grande.

    ps: sobre seu coment: n pergunte, talvez a resposta surja no silencio.

    ResponderExcluir
  8. Guerras internas são as piores, não há vencedores, não há perdedores!

    Há apenas uma batalha que nos ensina, ou ensinou...

    Beijos =**

    ResponderExcluir
  9. A luta interior é covarde.
    Quem pode nos livrar de nós mesmos????

    Mas certamente, resta-nos vencer...

    Ótimo blog...

    Bjosssss

    ResponderExcluir
  10. Seja uma Fênix. Que morre e das cinzas re-nasce mais linda, mais alegre e mais vibrantes.

    ResponderExcluir
  11. então Fê, eu também acho absurdo pagar para admirar uma mulher que não existe.

    e, desculpe, mas sou educado o bastante nao te dizer o que significa o ** do meu post.

    bjs

    ResponderExcluir
  12. Se acordou? Sinceramente não sei, na verdade nunca saberemos. E nem sei se quero saber, na verdade. É melhor às vezes a gente ter na lembrança aquela sensação de que nunca vai acordar de um sonho bom, mesmo que seja um sonho.


    ...



    Nunca somos só um, sempre somos mais. A menina não é apenas a menina angustiada. Ela também é mais. Mesmo que seja só uma a mais, ainda é outra, portanto com um outro caminho.
    Quando estamos em frente à uma encruzilhada, onde nada mais faz sentido, o único sentido é deixar as coisas correrem como um rio. Como jogar os dados e ver no que vai dar. Deixe a menina cursar outros caminhos... Se ela se perder, conhece o caminho de volta...



    Abraço.

    ResponderExcluir
  13. ela sabe descrever tão bem oq acontece; ela não tem duvidas qto ao q sente; e nem ao q esta fazendo... essa guria é forte muito forte...
    não tem pq temer;


    maravilhoso seu blog.

    ResponderExcluir
  14. Morrer sem medo é um dom q só tem quem não teve medo de viver.

    ResponderExcluir
  15. tem um trecho de uma música mto velha q tocava numa novela antigona q diz: "não temas, minha donzela, nossa sorte nessa guerra... eles são muitos mas não podem voar."

    aposto que a menina pode!

    Bjksss

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Instagram