icones sociais

kriptonita


Tem gente que inspira a falar de saudades, do passado e da superação do fim. Essa guria é diferente. Não que eu não soubesse disso, desde a primeira vez que troquei as primeiras duas palavras com ela. Depois de trocar os primeiros beijos então? Aí eu tive certeza de algumas coisas:

quando foi que deixei de amar você?

mafe-probst

Não lembro o dia que deixei de te amar. Eu parei para pensar como as coisas deixaram de ser, mas, de fato, não sei mensurar dia, hora e local que deixei de te amar. Você vai dizer que parei de te amar quando bati a porta e saí para a rua, mas a verdade é que aquela porrada doeu mais em mim do que na madeira que estremeceu com o impacto.

Redes sociais como amiga e não inimiga


No começo é tudo lindo: trocamos status de solteiro para relacionamento sério, marcamos a amada, torcemos para ela aceitar e mostrar isso em público, contamos cada like e comentário do nosso novo status. Elaboramos um relatório detalhado de todas as reações em todas as nossas fotos. Até que, terminamos…

Estranho seria se eu não me apaixonasse por você


Eu já vou começar dizendo que, desde o dia que te conheci, já sonho em te ver entrando de noiva numa igreja, numa praia ou, apenas, em um pequeno corredor de gente feliz que torce pela nossa história. Eu sabia que você seria especial. Só não imaginava que saber disso era só o começo.

A VIZINHA DOS MEUS SONHOS


Eu estava levemente distraída quando a vi. O sol refletia em seu cabelo e o sorriso era o mais lindo do mundo. Ela dava as mãos para outra moça, conversando em silêncio segredos que eu não entendia. Fiquei parada, olhando a cena. A moça me viu olhando e riu para mim, fazendo meu coração parar por um momento. Caminhou em minha direção, estendeu a mão e se apresentou, calorosamente. Era minha nova vizinha. Ela e a esposa. A moça bonita, de sorriso perfeito iria passar a morar do ladinho de mim.

palavras mal ditas

ouça enquanto lê:


Meus discursos são tortos. Engoli as palavras nos últimos dias – nos últimos meses – e me vejo castigada por elas. É ruim demais trancar aquilo que quer voar lá fora. Sempre fui dessas pessoas que não trancafiavam as palavras, dando um jeito de soltá-las em papéis de carta amassados, diários cheios de segredos ou páginas em branco de um blog qualquer. Parei de fazê-lo, não me pergunte porquê. Eu repasso as palavras todos os dias, o tempo todo. Principalmente no banho. Enquanto a água lava meu corpo, as lágrimas lavam minha alma. Eu choro tudo aquilo que eu não digo. Alivia? Um pouco. Resolve? Não, honestamente, não.

A gratidão que ela sente por lembrar das amigas que ela tem


Hoje ela acordou cedo, fez o café e olhou a paisagem catastrófica da cidade, passando pela tela da janela da varanda dela. Suspirou. Ainda era cedo. Tinha tempo para boas lembranças. Tempos atrás ela escutou de alguém que lembranças ruins não devem ser tomadas com café da manhã. Melhor evitar.

ACASO, DESTINO OU SORTE?


Dezoito.

Esse foi o número de vezes que passei em frente a tua casa. Ensaiei bater somente duas vezes. As primeiras duas vezes. Depois decidi largar ao destino e só fiquei passando, esperando que um dia, por acaso ou sorte, eu me esbarrasse contigo. Coincidentemente. Bom, era isso que eu iria dizer. O discurso já estava mais que pronto, ensaiado, pinicando na ponta da língua.

Eles morrem de medo da força que ela carrega


Forte o suficiente pra sobreviver sozinha, em qualquer lugar, sob qualquer circunstância, ela se movimenta o tempo inteiro, produzindo uma ventania ao lutar pelo que quer.

ME PEÇA PRA FICAR

originalmente postado no Entre Todas as Coisas

Desculpa, mas eu vou embora. Foi ontem que decidi partir e eu preciso arrumar minhas coisas para sair antes que mude de ideia – outra vez. Por favor, aceita. Eu já guardei as mágoas, as saudades e os planos dentro da mala, junto com algumas roupas usadas e uma camiseta tua. Não, não me olha com esses olhinhos brilhantes, por favor! Eu resolvi mesmo partir. Na verdade, eu venho ensaiando a minha partida desde o dia que te conheci, mas fiquei nos enganando porque eu não queria dar adeus assim, tão logo. Talvez eu parta antes mesmo de chegar. E me desculpa por isso.

Duas garrafas de vinho e muitas vidas de amor


Eu nunca fui fã do carnaval, mas o desse ano foi especial. Se nosso último encontro foi corrido, esse eu fiz questão de aproveitar cada segundo. O combinado foi compensar a falta de tempo do último almoço, então decidimos jantar.

é pau, é pedra.


Aprendi com a vida que não devemos esperar retorno das pessoas. Quando se trata de seres humanos, o princípio da ação e reação é falho. Quando proferimos uma gentileza, não devemos esperar retorno, ainda que em forma de agradecimento: essa espera, algumas vezes, é em vão. E machuca.

Instagram