icones sociais

E SE VOCÊ TIVESSE IDO ME ENCONTRAR?


O coração estava pulsante e o desejo latente. A nossa história sempre foi um quebra cabeça sem fim. Mas alguma coisa me dizia que aquele momento seria o nosso divisor de águas e, tanto pensei, que foi. Um horário definido, um local, e eu. Eu com um coração cheio de sonhos e a esperança de que ainda haveria salvação para nós dois.

Mas então o tique-taque tique-taqueou e você não apareceu. Um mar gelado caiu sobre mim, fui imersa pelas ondas e restou pouco fôlego para recomeçar, me joguei nas areias da praia e fiquei quieta. O silêncio foi tão cruel quanto a sua ausência. 

Já não éramos mais nós, já não existia um recomeço e tão pouco vontade para recomeçar. As cartas foram expostas e cada um mostrou o seu jogo. Dias, meses, anos, pessoas que vieram e saíram, novamente uma data, uma lembrança, o gosto amargo da saudade. E, de repente, você.

A única pergunta que vem na minha cabeça é: “E se você tivesse ido me encontrar?” Se o destino, acaso ou sabe lá qual mapa astral cercava os nossos sentimentos naquela noite e impediram esse encontro de acontecer, não tivesse acontecido? E se não houvesse um chefe para segurá-lo após o expediente? Ou o pneu do seu carro não furasse? Ou o seu cachorro não tivesse se machucado?
E se você tivesse ido me encontrar?

Ainda seriamos nós? Assumiríamos o desejo? A vontade? A paixão que estava tão nítida, mas que sempre deixamos pra lá? Diz os anciões que não devemos viver com um “E SE”, entalado na garganta, que isso não faz bem e nos acorrenta a um passado que não nos pertence mais.

Eu segui em frente, é verdade. Voltei a pintar, já fiz algumas viagens, tenho um namorado novo, estou feliz, falo de filhos, casamento, quero ir à Paris, só que dessa vez com um novo roteiro. Tenho tantas ambições e já não penso mais tanto em nós. E mesmo assim, nessa maldita data, eu volto ao recomeço como se estivesse vivendo um “Déjà vú”.

O nosso divisor de águas me traz a sensação de que nunca irei parar de me perguntar, e se você tivesse ido me encontrar? Seriamos felizes? Teríamos filhos? Eu seria a mulher da sua vida? Já moraríamos no Canadá? Todas essas perguntas irão morrer sufocadas assim como o nosso final. Sem uma despedida e sem um recomeço. Você foi mais que uma onda a me submergir no mar. Você será para sempre o meu eterno "e se", deixando em minha pele a lembrança de tudo aquilo que poderíamos ter sido juntos.

Bastava apenas um encontro.

Justamente aquele que não aconteceu. E mais um 10 de abril, eu venho lhe perguntar: e se você tivesse ido me encontrar?



Instagram