icones sociais

A gente tá sempre dando uma forcinha pro amor, sabe?


Ontem mesmo estava conversando com um amigo, ouvindo-o desabafar sobre uma mina que partiu o coração dele. Logo o dele, que geralmente é o culpado por destruir corações alheios.

Ele disse: "Mas é sério Má, as coisas hoje em dia estão difíceis para os dois lados. Hoje em dia, você não pode falar em algo mais sério com uma mina, que ela acha que tô fazendo hora com a cara dela. Onde esse mundo foi parar cara, que que tá acontecendo? Tá faltando amor no mundo".

Não, não está faltando amor no mundo, falta saber amar. Vou explicar!


Não acho que as pessoas perderam a fé no amor. Todo mundo quer sentir o coração bater mais forte, receber mensagem de bom dia... Se o mundo estivesse tão ao contrário assim, e todo mundo fosse a geração desapego igual vivem pregando por aí, os sites de relacionamentos não seriam o mercado mais promissor atualmente.

A gente sempre tá dando uma forcinha pro amor sabe? Se a gente realmente fizesse a linha da geração desapego, não faria sentindo manter um dialogo por mais de 2 minutos com alguém. Afinal, se realmente não quiséssemos ser de alguém, ou ter alguém, não precisaria nem passar o número do telefone. Mas nós queremos sim. Só não sabemos expressar corretamente. Talvez seja medo. E, por medo,  não conseguimos seguir em frente.

Seguir em frente é muito mais difícil que superar. Superar a gente supera, difícil é deixar um outro alguém entrar na bagunça que o outro deixou. Falta aprender a amar. Falta cara a cara, falta mandar a real sem ter medo do que os outros vão pensar, falta mais sinceridade, menos joguinhos. Muuuuito textão, muito afeto, muita declaração e menos medo de quebrar a cara.

E, posso ser sincera? Por mais que quebremos a cara, a gente sempre vai continuar tentando, e dando uma forcinha pro amor. Não falta amor, falta a gente se amar muito, a ponto de não precisarmos de alguém para completar — e sim um parceiro para dividirmos todo esse amor.


Comentários

Instagram