icones sociais

Difíceis constatações


Não vou mentir dizendo que foi fácil e natural para mim aquela constatação. Aquele atestado. Aquela sentença. Estou ainda tentando digerir, e, sem mentir, reverter a situação a todo custo. Sim, ainda luto contra isso. Ainda em vão, mas, sabe que não desisto fácil, né? Ela contradiz tudo, vai contra toda e qualquer ordem natural das coisas.
Meu amor incondicional, por razões óbvias, pertencia a somente dois seres neste universo. Veja bem, estou falando de incondicionalidade. Aquilo que foda-se o que a pessoa fizer para você, não vai alterar em nada, nem um mísero milímetro o sentimento grande, gigante, infinito e absurdo que você sente pela pessoa. É disso que estou falando, não de qualquer bobagem. Aquilo de ser amor e pronto. Aquilo que não se explica, se sente. Aquilo que é e ponto final. Aquilo que não precisa ser mão dupla para existir (se for, melhor, mas não é mandatório), aquilo que não precisa ser recíproco para te manter ali.

Enfim, a vida seguia seu curso e eu sabia que meu amor incondicional tinha dois alvos.

Até que descobrir que o que sentia por ti era incondicional também, o que vira qualquer lógica de cabeça para baixo. O que acaba com todas as teorias existentes sobre amor-próprio e reciprocidade. A você não caberia aquilo. Não mesmo. Aliás, a mais ninguém, mas a você, menos ainda...

Racionalmente, eu precisaria de sua contrapartida para te gostar, para me preocupar contigo, para deixar você ocupar tanto espaço no meu coração e nos meus pensamentos. Mas, desafiando qualquer razão, não está acontecendo assim. Pelo contrário: apesar de suas mancadas, pisadas de bola, sim, eu te gosto. E te quero tão bem...

E está sendo destas coisas incômodas de engolir, sabe? Porque não faz sentido, porque não deveria ser assim. Sim, você e a incondicionalidade do que sinto por ti são daquelas difíceis constatações que você se depara na vida: difíceis porque te chacoalham, te mostram que as pecinhas do quebra-cabeça nem sempre se encaixarão perfeitamente, te dizem que você não está no controle sempre, embora queira estar. Te dizem que você nem sempre está certa, te tiram na zona de conforto, te confrontam, te desafiam, te fazem entrar em contato com aquilo que nem sempre é agradável, porque quebram suas certezas e as transforam em meros caquinhos.

Devo te agradecer por isso?


ana paula del padre
Administradora. Capricorniana Mãe. Mulher. Intensa. Não necessariamente nesta ordem. Se encantou pela beleza das palavras desde cedo, mas, pelos atalhos no caminho, acabou seguindo outros rumos. Agora, aos 40, com o turbilhão de sentimentos que a maturidade traz, as palavras brotam sozinhas e espontaneamente. Adora desafios, filosofia, pôr-do-sol, abraços apertados, conversas longas e decifrar entrelinhas.

Comentários

Instagram