icones sociais

Nem sempre é TPM

Essa semana eu estava um pouco mais sensível do que o normal. Tive vontade chorar algumas vezes por motivos, aparentemente, tolos. A primeira coisa que fiz ao me deparar com isso foi olhar minha cartela de anticoncepcional e ver que era muito cedo para eu estar na TPM.

Minha amiga até comentou comigo que eu estava um pouco irritada e disse: "engraçado porque eu nem estou na TPM". Já ouvi várias vezes, em alguns dias ruins, onde meu nível de estresse estava um pouco mais elevado: "nossa, é TPM isso?".

Ao pedir colo, carinho, atenção, algumas vezes, já ouvi: "Você tá carente? Tá de TPM anjo?"

Já vi homens se mostrando um pouco mais sensíveis em determinados momentos e serem zoados pelos(as) amigos(as): "Deu pra ter TPM agora?". E aí me veio dois questionamentos: Só mulheres podem se mostrar vulneráveis e sensíveis? Essa vulnerabilidade e sensibilidade está pré agendada em uma tabelinha ou um calendário? 

As pessoas tem o costume de associar toda essa sensibilidade com as alterações hormonais. Mas nossos sentimentos são muito mais do que uma TPM que acontece mais ou menos a cada vinte dias, uma vez ao mês.

Uma vez ao mês, com duração de mais ou menos uma semana, as mulheres sofrem de TPM. Mas nos outros dias elas ainda são humanas. Homens não sofrem essa grande alteração hormonal, mas isso não os torna menos humanos.

As nossas emoções irão surgir à qualquer momento, por vários fatores que desencadeiam isso. Trabalhá-las é fundamental. Mas, de vez em quando, de fato nos sentiremos mais carentes, mais tristes, sensíveis e irritados. E tá tudo bem.

O que não deve existir é essa cobrança cruel em cima das pessoas. Essa exigência de super inteligência emocional. Essas regras que ficam controlando quem, o que, como e quando as pessoas sentirão algo. Essa justificativa que as pessoas tem que dar sobre seus sentimentos.

E, às vezes, essa cobrança parte da gente. Esse desejo de querermos nos mostrar fortes o tempo inteiro. De nunca ouvir o nosso coração. De acharmos que "agora não é hora pra isso". Que não tem motivo pra estar tão irritada.

Não estou fazendo uma defesa para que as pessoas alimentem sentimentos ruins — tristeza, ansiedade, irritação, impaciência, nervosismo... Não são de forma alguma sentimentos bons e não devem ser alimentados.

Isso é pra dizer, apenas, que temos que pegar mais leve conosco e com os outros. Que devemos sim nos permitir sentir algumas coisas, sem justificativas pré prontas. É pra gente não se cobrar e não cobrar dos outros tanto. É pra gente reconhecer nossas fraquezas e aceitá-las, para somente depois disso podermos lidar com elas e melhorar. É só pra dizer que todos tem seus dias ruins e não somente mulheres, não é somente na TPM. Reconhecer que existem sentimentos muito maiores do que aqueles aflorados pelos hormônios.

Talvez meu choro sem motivo ou minha irritação por qualquer coisa, sejam somente sinais de que existem sentimentos camuflados, pedindo e implorando para serem vistos, analisados e trabalhados. Talvez eles estejam gritando por atenção.

E, às vezes, quando o motivo não for aparente, quando não fizer sentido porque o calendário marca que ainda falta muito pra TPM chegar, é sinal de que a gente só precisa olhar pra dentro. E nesse momento a cura não virá em um Atroveran ou uma barra de chocolate.

A cura vem de dentro da gente. De a gente se acolher e cuidar do nosso coração.



alana verdi
Itajaiense e apaixonada pela vida. Se eu fosse me resumir em 3 palavras seriam: intensa, sentimental e desastrada. Gosto de coisas simples, enxergar o lado bom de cada coisa e exercitar a gratidão. Escrevo sobre tudo o que faz meu coração florescer.

Comentários

Instagram