icones sociais

A mulher na janela

escrito por Jel Sousa
fonte
A mulher na janela foi um livro que li em apenas dois dias. Isso diz muito para alguém que tem retornado a passos lentos ao ritmo de leitura. O primeiro atrativo para lê-lo foi sua sinopse de suspense. Ele conta a história de Anna, personagem que sofre de agorafobia, o medo de estar em lugares abertos. Por isso, ela está há quase um ano presa em casa, com o mínimo contato com o mundo externo.

Ao observar os seus vizinhos pela janela, o que faz com habitualidade, Anna presencia uma cena aterrorizante. Mas quem acreditará numa mulher mentalmente doente, alcoólatra e que toma diversos remédios de tarja preta?

A história me cativou, pois suspense me parece a forma mais fácil de voltar a ler com frequência, já que a expectativa pelo fim te faz devorar as páginas. Não bastasse isso, o livro é um best seller e ficou 26 semanas como o mais vendido na lista do The New York Times. Nunca na vida abri essa famosa lista, mas preciso concordar que é uma informação que causa impacto.

Para completar a tríade de motivações, estão fazendo a adaptação para o cinema, com a personagem principal interpretada por Amy Adams. Dado isso tudo, iniciei a leitura com bastante expectativa. Mas nas primeiras páginas, acabei me frustrando um pouco.

Não espere que o tal fato misterioso apareça logo. A narrativa é construída de forma cuidadosa, expondo com calma toda a personalidade de Anna, seus vizinhos e sua perspectiva sobre o mundo. Essas páginas iniciais são importantes e passaram rapidamente até que o grande momento chegou.

Intercalando cenas atuais com alguns flashbacks que contam mais sobre a história de Anna, o livro é daquele tipo fácil de ser lido, mas nem por isso perde seu mérito. Ao contrário, nem toda leitura precisa ser densa e, por vezes, cansativa como um livro de Saramago.

O desfecho me surpreendeu e já quero ler outros livros com essa mesma estrutura. Se você gostou de Garota Exemplar e A garota no trem, vai curtir desse também. Mais uma narrativa protagonizada por uma mulher com problemas e com lacunas que vão se fechando aos poucos.

Agora só torço para que Amy Adams não decepcione.



jel sousa
Amiga íntima das letras e livros desde cedo, seria surpreendente se não encontrasse na escrita sua forma de expressão natural. Com um quê de psicologia amadora, é apaixonada pela complexidade do ser e sentir. Produtora de moda, consultora de imagem, advogada e futura designer de moda.



Comentários

Instagram