4 passos para aprimorar seu estilo pessoal

Encontrar o seu estilo pessoal pode ser uma tarefa difícil. Ao que parece, temos a obrigação social de já saber exatamente o que queremos antes mesmo de tentar. Mas calma! Você não nasceu sabendo escrever longos textos, então porque acha que iria dominar a comunicação não verbal do dia para a noite? Existem algumas formas de você ir entendendo mais desse mundo de autoimagem. Vou listar aqui 4 perguntas importantes nesse processo:

O que eu quero?
Primeiro de tudo, você precisa saber o que quer e o que não quer. Você prefere focar em conforto ou elegância? Gosta mais de cores fortes ou neutras? Estampas ou roupas lisas? Peças folgadas ou justas? A pergunta parece simples, mas muita gente se deixa levar pela indicação da amiga, da mãe, do namorado, segue todas as tendências da moda, mas, no final das contas, não sabe exatamente o que deseja.

O que eu preciso?
Vivemos no mundo real e nem sempre o que queremos e o que precisamos vestir formam um casamento perfeito. Você pode amar saltos altíssimos, mas se seu trabalho é ensinar a crianças de 3 anos provavelmente esse sapato será bem inapropriado para as suas necessidades diárias. Então, entenda aquilo que é permitido e adequado dentro da sua vida, tanto profissional como pessoal. No trabalho, você precisa estar altamente arrumada ou com muita mobilidade corporal? Qual é o seu meio de transporte diário? Quantas horas você passa em pé? Seja realista nesse momento, não adianta se idealizar descendo bem plena do seu carrão se na verdade você pega é um buzão e um metrô todo santo dia.

Como eu quero ser vista?
Nossa imagem transmite nossa personalidade ou ao menos deveria. A meta é ressaltar nossas qualidades e, quando digo isso, não estou falando só de características físicas, tá? Se você é criativa, suas roupas são uma ferramenta incrível para mostrar isso. Já se seu ponto forte é o profissionalismo, com certeza existem meios para identificar só de bater o olho no seu lookinho. Pense comigo: quando você olha para Anitta identifica a mesma personalidade de quando olha para Michelle Obama? Creio que não.

Quem me inspira?
Somente depois de entender a si mesmo e o que você necessita é o momento de buscar no outro as referências para expandir seu olhar criativo sobre as roupas. Além do Instagram cheinho de blogueiras para todos os gostos, fazer uma pesquisa no Pinterest pode te ajudar muito a encontrar possibilidades impensadas de combinações. Na vida offline, observe as pessoas ao seu redor. Sempre tem aquela conhecida estilosa que a gente gostaria de copiar uns lookinhos aqui, outros ali. Baseado no que você respondeu nas perguntas anteriores, ficará mais fácil identificar exatamente o porquê de você gostar tanto da forma da sua amiga se vestir ou a razão pela qual aquela sua vizinha usa roupas que você definitivamente nunca usaria.

Traçado esse panorama mais teórico da coisa toda, é o momento de você tentar. Todos os dias você escolhe uma roupa, então faça desse momento uma experimentação. Para mudar ou aprimorar o estilo, é necessário testar suas possibilidades. Esse ainda não é o momento de sair comprando loucamente roupas novas. Na verdade, talvez nunca haja esse momento, mas esse tópico sobre consumo consciente fica para um próximo textinho.

Pegue as roupas que você já tem e treine o olhar, mude as composições e até busque peças emprestadas com amigas antes de realmente adquirir a sua. Mas tenha sempre em foco que a linguagem das roupas precisa de exercício frequente, igualzinho na academia, e você não precisa botar todos os pesos logo de primeira, porque isso não fará seus músculos crescerem mais rápido, só vai te deixar cheio de dores e desmotivado por não conseguir.



jel sousa
Amiga íntima das letras e livros desde cedo, seria surpreendente se não encontrasse na escrita sua forma de expressão natural. Com um quê de psicologia amadora, é apaixonada pela complexidade do ser e sentir. Produtora de moda, consultora de imagem, advogada e futura designer de moda.



0 COMENTÁRIOS