Talvez a gente seja pra sempre um simples talvez


Talvez eu sempre fale sobre a gente, talvez eu te esqueça entre um gole de amor próprio e outro de conhaque barato.

Talvez eu ria quando seu nome surgir no meio das minhas conversas na roda de amigos, talvez eu não consiga mais segurar as lágrimas e desabe ao me dar conta que ainda te amo.

Talvez eu ainda te ame e talvez eu nunca te esqueça, digo, assim pra valer, aquele esquecimento de não lembrar nem de qual fruta você não gosta.

De todos os "talvez" que ainda restam por aqui depois da nossa despedida, dentro de um abraço carregado de nostalgia em nome de tudo que foi vivido, e metade de uma estrada que poderíamos ainda viver, me resta a certeza de que você será sempre o amor que vai ficar na pele e no coração.

Outros amores irão chegar: intensos, rasos, fugazes e até mesmo épicos. Mas sobre o nosso amor só a gente sabe o que viveu. E ele será a marca que eu carregarei com a certeza de que te amar foi a melhor escolha que eu pude fazer.

Obrigada por ser o meu primeiro amor, e por tudo que me ensinou. Hoje novamente você está nos meus pensamentos, um pouco de saudade talvez, ou talvez é apenas o velho costume de te associar a tudo que eu escrevo sobre amor.

É pode ser, ou apenas é um "talvez".




RE VIEIRA
Uma escorpiana formada em direito, apaixonada pela vida, pelas palavras, por músicas e pessoas legais. Ela acredita que a vida é um sopro e, por isso, escolheu sobreviver jogada na adrenalina de uma rotina nada organizada, andando por aí de mãos dadas com a liberdade.

0 COMENTÁRIOS